quarta-feira, 1 de julho de 2015

Grátis em Veneza



Vista da laguna a partir da Basílica de São Marcos

Agora que se aproximam as férias, Veneza é uma das cidades mais requisitadas e visitadas. Não admira, é uma cidade bela, estranha e fascinante. Na verdade, é tão visitada que, às vezes, é difícil descobrir italianos na cidade, tantos são os turistas! Mas é, realmente, um destino incontornável...
Mas Veneza fica na Itália, um país conhecido pelos preços altos, em particular para turistas! No entanto, é possível fintar a crise e os preços altos. É que há muitas coisas interessantes que se podem fazer, gratuitamente.
Comecemos pelo centro, a Praça de São Marcos. Passear pela praça é visitar o coração de Veneza. Há muitos cafés, com pequenas orquestras, como o Florian, que já remonta ao século XVIII. Sentar nas esplanadas é proibitivo, mas ninguém nos proibe de assistir aos concertos e apreciar o ambiente. Também é gratuita a visita à belíssima catedral de São Marcos. Já para subir ao campanário ou visitar outras partes do complexo, é preciso pagar. Veneza tem mais de cem igrejas, algumas delas verdadeiras jóias artísticas, sendo a maioria de entrada livre.
Também as pontes, como a famosa Ponte de Rialto, são de visita livre. Outra visita que vale a pena é ao velho Bairro Judeu, o Ghetto Nuovo. A visita à sinagoga é paga, mas todo o restante espaço é de visita livre.
Um passeio de gôndola faz parte do imaginário coletivo mas, se esquecer um pouco o romantismo de pacotilha e quiser apenas passear pelos canais, é preferível apanhar o vaporetto que, como um verdadeiro autocarro aquático, percorre todo o Gran Canal, com paragens regulares. O preço é muito acessível, especialmente se se comprar um bilhete diário.
Alguns museus têm atividades gratuitas para crianças, como o Peggy Guggenheim ou o Planetário, situado na ilha do Lido. Já o Museo della Musica, que inclui uma exposição sobre o veneziano Antonio Vivaldi, é sempre gratuito para todos. 
O Mercado do Peixe também é imperdível e uma ocasião, já rara, para perceber a vida real dos venezianos.
Para todos os que não dispensam, apesar do custo, a visita a outros espaços emblemáticos da cidade, como o Palácio Ducal, o Ca' Pesaro, a Biblioteca Marciana, o Museu da Academia, vale mesmo a pena adquirir o Venice Card, vendido nos Museus ou no Turismo. O preço do cartão é quase equivalente à entrada num desses espaços, apenas. 
Sim, é possível visitar Veneza com pouco dinheiro no bolso...

A Normandia dos Desembarques

"O dia em que chegaram" - Escultura comemorativa do Desembarque aliado, em Sainte-Mère Église Falar da Normandia é falar ...