quinta-feira, 16 de julho de 2015

Grátis em Paris I


Paris e o Sena
Ficou célebre a frase de Audrey Hepburn: Paris is always a good idea...
É, realmente, uma cidade fascinante, com muita coisa para usufruir e oferta cultural para todos os gostos e para todas as bolsas. São muitas as atrações que se podem admirar e os locais que se podem apreciar, a custo zero. Vou deixar aqui algumas sugestões, que permitem passar uns dias em Paris com um orçamento económico, mas apreciando todo o ambiente da cidade.
Para começar, a Torre Eiffel. É, provavelmente, o monumento mais conhecido de Paris mas, com sinceridade, é mais interessante apreciá-lo de fora do que subir ao topo - o que, para mais, fica caro e nos obriga a perder imenso tempo na fila. Não há vista da Torre Eiffel que se compare à que se pode obter do terraço do Palácio de Chaillot ou do Trocadero. Em alternativa, prepare um piquenique e estenda-se no relvado do Campo de Marte, à espera do anoitecer e das luzes que cintilam na Torre de hora a hora. Se a ideia é ter uma vista panorâmica de Paris, é preferível subir até Montmartre e ver a paisagem a partir do Sacré-Coeur. Para completar, pode visitar a Basílica do Sacré-Coeur, a entrada é gratuita.

Tocando concertina frente ao Sacré-Coeur
Outro ícone de Paris é o Arco do Triunfo. Não vale a pena subir ao topo do arco, tudo o que é interessante está cá em baixo: as esculturas e baixos-relevos que lembram as vitórias de Napoleão, o túmulo do Soldado Desconhecido, as exposições temporárias nas galerias de acesso.

O Túmulo do Soldado Desconhecido
 Depois, é imprescindível descer os Campos Elíseos, apreciar as lojas e os cafés, dar a volta à Praça da Concórdia, passear pelas Tulherias, alimentar os passarinhos. É tudo gratuito. 

Nos Campos Elíseos
A Catedral de Notre-Dame também é de entrada livre e é imperdível, ou não fosse um dos expoentes da arte gótica. Também vale a pena rodeá-la e olhá-la da margem esquerda do rio Sena, para apreciar os pináculos, arcobotantes e contrafortes que não se podem ver do interior. Por falar no rio, o coração de Paris é o rio Sena. Não se pode deixar de calcorrear as suas margens, atravessar as pontes, parar nos vendedores de gravuras e livros antigos. Os namorados costumavam deixar cadeados com os seus nomes presos nas pontes do Sena. O peso obrigou à sua retirada, mas Paris não ficou menos romântico por causa disso!

Notre Dame de Paris vista da margem esquerda do Sena
Como qualquer cidade, Paris é para ser caminhada. Sem pressas. Apreciando as praças e boulevards, da Place des Vosges à modernidade da Défense. Apreciando as pontes e os cais do Sena. Apreciando os jardins, dos Jardins du Luxembourg à originalidade da Promenade Plantée. Porque, felizmente, caminhar pela rua ainda é completamente gratuito...

No Jardim das Tulherias

A Normandia dos Desembarques

"O dia em que chegaram" - Escultura comemorativa do Desembarque aliado, em Sainte-Mère Église Falar da Normandia é falar ...