Mensagens

A mostrar mensagens de 2016

De mota pelos Alpes IV – Do Lago Leman às passagens alpinas

Imagem
O dia começou com a reparação do percalço do dia anterior, isto é, houve que procurar o concessionário da Honda para substituir a lâmpada fundida. Com isto, novo atraso à saída do hotel, que até acabou por dar jeito, já que aguentámos a chuvada matinal debaixo de telha! Pior do que nós estava um casal de ciclistas belgas, em viagem de regresso a casa, que lá foram pedalando, debaixo de chuva. Passámos ao lado de Genève, na direção do Lago Leman. Viajando de mota, não perdemos tempo com cidades grandes. Essas são para explorar durante mais tempo, pelo menos dois dias e são para outro tipo de viagem. Aqui no blogue, há vários posts sobre Genève, uma cidade muito especial, que alia a centralidade turística e económica ao cosmopolitismo gerado pelas organizações internacionais que aí têm a sua sede.




Quanto a nós, seguimos pela margem norte do Lago Leman. Primeira paragem no Castelo de Rolle, para olhar o lago. Tudo é tranquilidade, beleza e requinte, desde os canteiros de flores à decoraçã…

De mota pelos Alpes III - O charme dos Alpes Franceses

Imagem
O dia começou com um percalço: o pneu da frente da nossa mota mostrava desgaste e era preciso mudá-lo! Havia que procurar uma oficina, em Briançon… Felizmente correu tudo bem, o mecânico, Nico, foi muito rápido e eficiente mas, mesmo assim, já saímos de Briançon muito depois da hora prevista. Claramente, íamos ter de anular algumas visitas e paragens, até porque a etapa era longa. Saímos na direção de Grenoble, mas a estrada estava cortada para obras e tivemos de seguir por uma pequena estrada alternativa, muito bonita e tranquila, o que acabou por ser positivo. Aqui começam os Alpes verdes, com encostas cheias de pastagens e vacas equilibristas.



Almoçamos em Bourg d’Oisans, uma pequena vila banhada pelo rio La Romanche. E foi mesmo aí, nuns bancos junto ao rio, que esticamos as pernas, enquanto comíamos umas sanduiches e bebíamos uns sumos de laranja. Depois de Bourg d’Oisans, e antes de chegar a Saint-Jean de Maurienne (que merecia uma visita, nem que fosse apenas pelos três dedos de …

De mota pelos Alpes II– Os desfiladeiros e picos da Provença

Imagem
Entrámos nos Alpes seguindo o curso do rio Durance. A magnífica ponte de Mirabeau é como uma porta de acesso à mais alta cordilheira de montanhas do continente europeu. Ao lado, alcandorada sobre o rio, vê-se a pequena Chapelle de Sainte-Madeleine. 



A paisagem começa a mudar. Nós dirigimo-nos para as Gorges du Verdon. Começamos a subir, sempre acompanhando agora o curso do rio Verdon. O rio Verdon deve o seu nome à tonalidade verde das águas, mas quando desagua no Lac de Sainte Croix é de um azul turquesa brilhante, que parece retocado no Photoshop. 


Mas, antes, passa por desfiladeiros imensos, altas paredes de pedra, que nós vamos bordejando, até percebermos que estamos a conduzir em sentido proibido. Melhor voltar atrás! Demos meia volta e voltámos a fazer o caminho até ao cruzamento de estradas de Palud du Verdon, onde tínhamos parado para umas bebidas frescas no acolhedor Bar de la Place.



Continuamos pelas Gorges du Daluis, com as suas sequências de estradas e túneis esculpidos na ro…

De mota pelos Alpes I – O princípio

Imagem
Já não sei como surgiu a ideia de darmos uma volta de mota pelos Alpes. Eu creio que foi a ver umas filmagens da Volta à França em bicicleta, que apresenta sempre umas imagens magníficas dos locais de passagem de cada etapa. Mas há outras versões e, na realidade, foi uma espécie de prolongamento lógico das nossas viagens de mota anteriores, pela Galiza e Cantábria, pelos Pueblos Blancos e Gibraltar e, mais recentemente, pelos Pirinéus. A ideia foi ganhando espaço e consistência. Entusiasmamos um casal amigo e os planos começaram a surgir. A fase do planeamento de uma viagem é uma fase fantástica, que eu aconselho toda a gente a cumprir. Não é uma chatice necessária, pelo contrário, é já uma construção da própria viagem e, como tal, um prazer. Seguiram-se meses de pesquisas. O meu marido intitula as nossas viagens “Rotas do Património” porque nos preocupamos sempre em procurar tudo o que há de interessante para visitar ou usufruir em cada região por onde passamos e não temos qualquer pro…

A Fortaleza de Salses

Imagem
A Fortaleza de Salses fica no sul de França, perto da fronteira espanhola. Situada num espaço reivindicado durante séculos por franceses e espanhóis, é um daqueles casos em que a situação geográfica marca a vocação e a construção de um edifício.


Foi mandada construir por Fernando de Aragão, entre 1497 e 1506, para defender o Roussillon espanhol da ameaça francesa e é uma obra prima da engenharia militar. Embora pouco conhecida nos circuitos turísticos, a fortaleza de Salses (ou Salses-le-Château, na versão francesa) é uma obra ímpar, pela sua envergadura e pela sua originalidade.


O primeiro aspeto marcante é a sua quase invisibilidade. É preciso ir à procura para encontrar a fortaleza, não está situada no cimo de um monte como um castelo medieval, pelo contrário, está meia enterrada no solo, para assim os seus canhões poderem varrer qualquer exército atacante. Quando nos aproximamos, mesmo assim, não temos a noção do que é aquela mole maciça. Foi construída com tijolos da mesma cor ocre…

Stratford upon Avon, ou a Shakespeareland

Imagem
A visita a Alcalá de Henares, sobre a qual já aqui escrevi, teve como pretexto a celebração dos quatrocentos anos da morte de Cervantes. A efeméride fez-me lembrar outro grande (gigantesco...) nome das letras europeias, de que também se comemora o quadricentenário da morte neste ano de 2016: William Shakespeare. Estive na sua terra natal, Stratford upon Avon, há já alguns anos. É uma pequena cidade do condado de Warwickshire, ao sul de Birmingham, no centro de Inglaterra, que guarda o encanto das pequenas cidades inglesas, com os seus pubs coloridos e acolhedores e as suas casas de ripas de madeira cuidadosamente envernizadas.


Naquela cidade, no entanto, há um tema comum a todos os espaços: Shakespeare. Compreende-se. Não é qualquer cidade que se pode orgulhar de ser o berço de um génio como esse. Mas, em Stratford upon Avon, há um exagero qualquer. As ruas ostentam símbolos e decorações que nos levam invariavelmente para o universo shakespeariano. Os homens-estátua, tal como as estátua…