's-Hertogenbosch, a cidade de Bosch

A avenida que liga a estação dos comboios ao centro da cidade

Faz este ano 500 anos que Hieronimus Bosch, o famosíssimo pintor holandês, morreu. A propósito desta efeméride, a cidade que o viu nascer e onde ele viveu a maior parte da sua vida, decidiu fazer uma grande comemoração, juntando no seu museu um conjunto muito significativo de obras de Bosch, atualmente espalhadas por museus e coleções particulares, um pouco por todo o mundo.

Entrada do Museu do Norte do Brabante, onde decorre a exposição comemorativa de Bosch

A ocasião era irresistível e talvez irrepetível. E lá fui eu até 's-Hertogenbosch...
A cidade é encantadora. Situada no Brabante, a cerca de uma hora de comboio de Amesterdão, é de fácil acessibilidade. As ruas ladeadas de casas antigas, as margens tranquilas do rio, as bicicletas que substituem a poluição e o barulho dos automóveis, tudo é agradável e dá vontade de passear sem pressas.

As margens tranquilas do rio

A praça principal ainda mantém marcas da prosperidade medieval da cidade, do tempo em que era um entreposto comercial com alguma importância regional. Está rodeada de cafés e restaurantes, com esplanadas aquecidas, para apreciar os fins de tarde solarengos.

A Praça do Mercado

O monumento mais importante da região é a magnífica Catedral de S. João, católica. Iniciada no século XIII, é concluída no século XVI, em estilo gótico. É uma igreja belíssima, de grandes dimensões, e de uma grande riqueza escultórica. 

Entrada da catedral de S. João

Exterior da ábside, com os seus arcobotantes rendilhados

O Altar-mor

O Tríptico de Antuérpia, num dos altares laterais

Mas o aspeto que me impressionou mais foram as extraordinárias figuras que povoam os telhados: sentadas nos arcobotantes, em filas, como subindo para o céu, dezenas de figuras esculpidas surpreendem-nos pelo exotismo ou pela fantasia. Todas diferentes, reproduzem profissões humanas, mas também um mundo animalesco, ou animais antropomorfizados. Há quem diga que as esculturas são inspiradas nas figuras dos quadros de Bosch... Talvez! Talvez esta cidade tenha gerado estas ideias, um mundo às avessas! Heresias?

As figuras que povoam os telhados...

... e as gárgulas

Neste ano de 2016, a cidade comemora o seu filho mais célebre. Desde os pendões na ponte aos autocolantes nas montras das lojas, tudo nos lembra Bosch. 

Os pendões na ponte anunciam a exposição

As imagens de Bosch nas montras das lojas


Esculturas reproduzem imagens dos quadros de Bosch

Há esculturas nas ruas que reproduzem imagens dos seus quadros. Há desfiles e espetáculos multimédia. E há a exposição de muitos dos seus quadros e rascunhos, únicos no estilo, que nos interpelam, e aos nossos valores, através da fantasia. Uma viagem inesquecível!

Mensagens populares deste blogue

Para comer - Dom Lambuças

Uma Rota do Românico

Livros e Viagens - Roma, Exercícios de Reconhecimento