sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

A Regata Histórica de Veneza



Corria o já distante ano de 1982. Eu estudava italiano como cadeira optativa na Universidade e ganhei uma bolsa de estudo para um curso de aperfeiçoamento de língua em Perugia, na região italiana da Umbria. Daí a decidir aproveitar a oportunidade para fazer o Interrail e conhecer melhor melhor a Itália, foi um passo. Assim, as viagens de ida e volta, assim como os fins de semana e todos os tempos disponíveis foram bem aproveitados!
Num desses fins de semana, decidimos ir a Veneza. Eu já conhecia a cidade mas, nesse dia, estava diferente. Sentia-se expectativa em todos os cantos. As ruas, largos e canais estavam engalanados, havia faixas e fitas a cruzar as águas. E cartazes, que anunciavam que a Regata Histórica se realizava nesse fim de semana. Não sabia bem o que era, nunca tinha ouvido falar, mas rapidamente percebi que envolvia desfile de barcos e corridas de gôndolas e que era um espectáculo que eu não podia perder.
No domingo de manhã, já estavamos instalados num dos cais que bordejam o Gran Canal. Percebemos que havia venda de lugares, tanto nos cais como nas varandas circundantes, mas a nós ninguém nos incomodou. E lá ficamos à espera, armados de fruta, sandes e fatias de pizza.
A regata iniciou-se com o desfile dos barcos que antigamente cruzavam os canais. Os passageiros iam vestidos a rigor e acenavam com ar majestático, como nobres e grandes senhores que, por momentos, assumiam ser.

Foi um desfile bonito, mas o melhor estava para vir: as corridas de gôndolas. Os gondoleiros competiam com as camisolas e as fitas do chapéu a ostentarem as cores do seu bairro. A multidão aplaudia e incentivava-os, ruidosamente. E eles davam o seu melhor, impulsionando as gôndolas, de pé na popa dos pequenos barcos, ou em conjunto nas gôndolas de seis, oito, dez remadores!
Segiram-se as corridas femininas. Não percebi se corriam pelos seus bairros ou pela cor dos seus cabelos. Havia barcos de gondoleiras loiras, vestidas com túnicas amarela-açafrão, e outros de gondoleiras morenas, vestidas com túnicas de cor púrpura. De pé nas suas gôndolas compridas, seis em cada gôndola, com os cabelos ao vento apanhados pelas fitas da mesma cor das túnicas, impulsionavam os barcos e arrebatavam os espectadores masculinos. Pareciam deusas voando sobre as águas do canal. A multidão ficava ao rubro!
Foi um espactáculo inesquecível!

Descobri que hoje em dia ainda se faz a Regata Histórica de Veneza, todos os anos, no início de setembro. Gostava de lá ir outra vez! Será que ainda arrebata a multidão? Que ainda se compete pelos bairros de Veneza? Ou será que se tornou apenas mais uma recriação histórica, para consumo turístico? Não sei, não há como ir lá para verificar!
Aqui deixo o link promocional do evento, ao pé das fotografias tiradas em 1982. Para fazer a comparação. Ou para planear a viagem!


A Normandia dos Desembarques

"O dia em que chegaram" - Escultura comemorativa do Desembarque aliado, em Sainte-Mère Église Falar da Normandia é falar ...